Matthew Daddario concedeu, junto com o seu colega de trabalho Harry Shum Jr., uma entrevista para a revista OUT onde falam sobre primeiros encontros e o futuro de ‘Malec’. Confira a entrevista traduzida abaixo:


Na drama fantástica Shadowhunters, o feiticeiro Magnus Bane e o guerreiro meio-anjo Alec encaram o seu pior oponente até agora – um primeiro encontro.

A série da Freeform, adaptada da séries popular de livros da autora Cassandra Clare, mostra um mundo sobrenatural com magia, demônios que assumem a forma humana, e um problema, de nível apocalíptico, do bem e do mal – e até mesmo famílias – um contra o outro.

Mas os fãs da série vivem pelo relacionamento entre os personagens de, ninguém menos que Magnus (Harry Shum Jr.) e Alec (Matthew Daddario), ou “Malec,” como os chamam. Enquanto os dois terminaram a primeira temporada com um beijo explosivo, a segunda temporada não deu muito tempo para desenvolverem o relacionamento. Até agora.

Na semana passada, o par finalmente foi para um, muito prometido, primeiro encontro – que foi doce e estranho, e totalmente relacionável, se você viveu alguns séculos e namorou algumas milhares de pessoas.

Nós falamos com os dois atores, antes do episódio dessa segunda, que promete mais momentos do casal.

Out: Como o seu personagem evoluiu da primeira até a segunda temporada?

Harry Shum Jr.: Para Magnus, nós apenas vimos uma pequena porção da sua vida na tela. Ele é um cara que viveu por séculos, que passou por muita coisa, mas você só consegue ver uma fração do que ele passou. Ele pensou que não iria ter nenhuma experiência nova. Mas quando Alec começa a entrar em sua vida, ele tem esperanças de amar novamente.

Matthew Daddario: Na primeira temporada, Alec era aquele jovem muito fechado. Ele era muito contido; tentava esconder quem ele era. Focava em ajudar os outros, apenas para não pensar em si mesmo. Agora, ele está sendo forçado a perceber que não pode continuar sendo desse jeito, e está se tornando mais aberto, uma pessoa emocionalmente acessível.

Como vocês abordaram a filmagem do primeiro encontro?

Harry: Nós (eu e Matt) sabíamos como essa cena era importante, tanto para os fãs dos livros como para as pessoas que se apaixonaram pela série. Indo para a cena do encontro, nós queríamos que Magnus e Alec colocassem os pés no chão – que haveria um elemento humano ali, fora da fantasia. Sim, nós estamos interpretando um feiticeiro e um caçador de sombras, mas nós continuamos nos perguntando – será que alguém pode se relacionar com dois caras tentando entender como se conectar em um nível maior que apenas atração física?

Matthew: Foi uma cena divertida; eu gostaria que tivéssemos mais saídas e encontros. Eles não tiveram tempo para conhecer um ao outro, então enviá-los para um encontro abria muito espaço para diversão. Eles são muito diferentes, mas eles possuem os mesmos valores chaves. É um momento muito real para uma série com lobisomens e pessoas mudando de forma em todo canto. Talvez nós vamos deixar o Alec bêbado para ele, finalmente, poder se soltar. [Risos.]

O que vocês acham que é a mensagem mais poderosa para os telespectadores sobre como os seus personagens abordam sua sexualidade?

Harry: Magnus apena ama – não se importa com gêneros, com Magnus tudo é apenas amor. Ele não te coloca em uma categoria específica. Essa é a beleza do Magnus – ele se machucou tantas vezes que está aberto para o amor em todas plataformas.

Matthew: Eu pensei muito sobre isso. Alec é jovem e tem diversas coisas acontecendo na sua vida, mas ele nunca foi capaz de admitir para si mesmo quem ele é, e quem ele sente atração sexual por. Até mesmo com o mundo basicamente acabando ao redor dele, ser incapaz de admitir esse tipo de coisa acaba com uma pessoa. Você pode fazer tudo na sua vida muito bem, mas essa desonestidade ainda acaba com você. Sério: Alec é um pouco filho da mãe. Agora que ele se abriu, ele é uma pessoa muito mais feliz.

O que podemos esperar, nos episódios seguintes, para ‘Malec’?

Harry: Pode tomar um caminho bom ou ruim. Assim como qualquer pessoa que você conheça, no encontro você descobre coisas que não são ideais para um parceiro. Você quer ter um tempo para digerir tudo; é isso que eles precisam.

Matthew: Alec não é o operador mais suave. [Risos]. Ele não é bom em situações assim. Ele tenta procurar algum concelho, e ele é curioso. Mas, mesmo com o mundo acabando, quando o Alec precisa, ele toma o comando.

Vocês têm alguma história de primeiro encontro estranha?

Harry: Eu acho que todo encontro que eu tive no ensino médio foi estranho. [Risos.] Eu estava tentando ser o par ideal, e isso só me deixou falido, porque eu pensei que deveria comprar flores e todas essas coisas. Eu estava tentando tanto impressionar essas garotas, mas os encontros que nós apenas saíamos para comer cachorro quente ou coisa assim, esses são os que significam mais.

Matthew: Quando eu penso em um “primeiro encontro,” eu penso em conhecer alguém em uma cafeteria ou em um encontro às cegas. Então eu nunca estive, realmente, em um primeiro encontro nesse sentido. Eu acho que esses só acontecem em filmes, mas outras pessoas me contaram que são reais [Risos.]


Fonte: (x)
Tradução e adaptação: Juliana Piazza – não copie ou reproduza sem os devidos créditos.
error: Caso queira algum dos nossos textos, envie um e-mail!