Arquivo de 'Entrevista'



Matthew concedeu uma breve entrevista para a edição de junho/julho da Out Magazine. Confira abaixo a entrevista traduzida e o scan da matéria:


Com Shadowhunters o ator embarcou em um novo quente romance gay – e pegou algum calor das fãs ao longo do caminho.

Matthew Daddario chama o seu alter ego de Shadowhunters, Alec, de um “cara ideal”. E enquanto esse personagem, um mortal que vive em um mundo de demônios, faz bem para os olhos, não é isso que o ator de 29 anos quis dizer.  “Alec é o melhor,” ele diz. “Ele se importa com os outros mais do que consigo mesmo, e esteve aprendendo a se importar consigo mesmo.” Daddario suspira, “Mas ele é jovem.”

Isso representava um problema na primeira temporada da série quando Alec caiu de cabeça em Magnus (Harry Shum Jr.), mas não assumiu sua sexualidade. Oferecendo, o que Daddario chama de: “a habilidade emocional de uma pedra.”

Por sorte, na segunda temporada (que retorna na Freeform dia 05 de junho), Alec assumiu sua homossexualidade. “Quando ele, finalmente, encontra alguém com quem ele pode se abrir, o força a se dar conta de quem ele realmente é.” diz Daddario. “Ele se torna um ser humano mais capaz, melhor.”

As fãs estão apaixonadas agora que o casal Alec e Magnus é real – elas o chamam de ‘Malec‘ – mesmo que em uma cena recente, em que Alec empurra Magnus para o quarto onde eles, finalmente, consumam sua luxúria, tenha causado uma comoção na internet sobre se havia sido algo consensual ou não. Mas Daddario está feliz que os telespectadores estejam prestando atenção. “As pessoas leem nas entrelinhas e são, algumas vezes, muito capazes de entender o que os escritores estão pensando.” ele diz. “Em outras vezes, eles não entendem direito. Mas tudo tem sido predominantemente positivo.”


Confira em  nossa galeria o scan da revista:

  

Revistas/Jornais – Scans > 2017 > Out Magazine (Junho/Julho)

Tradução e adaptação: Juliana Piazza – se for reproduzir, dê os devidos créditos, plágio é crime.
Fonte: (x) (x)

Nossos parceiros do Lightwoods Brasil traduziram a entrevista que o Matthew concedeu para a Screener, falando sobre a finale da 2A de Shadowhunters. Confira abaixo:


Depois de uma winter finale explosiva, “Shadowhunters” nos deixou com duas grandes questões: Quem diabos está com a Espada da Alma e que planejam fazer com ela?

Enquanto Clary e Jace planejam um ataque com os seres do Submundo do lado de fora do Instituto, Alec e Aldertree planejam um ataque do lado de dentro. Naturalmente, nenhum dos planos funcionou do jeito esperado, e a Espada da Alma foi oficialmente ativada – e em seguida roubada por uma misteriosa figura encapuzada.

Nós temos algumas teorias sobre quem está por baixo do capuz, e nós levamos nossas teorias ao Matthew Daddario. Ele manteve segredo sobre esse misterioso novo personagem, mas nós conseguimos fazê-lo falar sobre aquele fofo “Eu te amo” entre Alec e Magnus.

Obviamente, a pergunta que todos têm em mente é quem roubou a Espada da Alma. O que você pode nos contar sobre isso?

Os Instrumentos Mortais estão espalhados por aí e você não sabe quem os tem e então você sabe quem está com elas. É uma confusão. A Espada da Alma obviamente tem um pouco mais de poder. Isso não é bom. Nós sabemos o que ela faz com pessoas que tem sangue de demônio e isso é um pouco assustador. Pode ser  que um novo personagem esteja tentando conseguir, pode haver algumas pessoas na Clave que não são confiáveis sobre certas coisas, e pode haver Valentine armando um novo plano que ele não tenha nos contado.

É legal que haja todas essas possibilidades, porque nós não sabemos realmente quem são os bons garotos e quem são os maus. Parece mudar bastante. Nessa metade da temporada, nós estamos vendo a linha tênue entre quem é bom e quem é mau.

Nós podemos assumir então que a tensão entre os seres do Submundo e a Clave vai aumentar depois desse último massacre?

O grande problema é exatamente esse, se você é do Submundo, como você vai confiar na política dos Caçadores de Sombras, que estão levando a morte o seu próprio povo? Não é fácil dizer para eles que sua raiva não é justificável. Eu acho que muito do que vamos ver é a problemática com o Submundo, e como eles vão reagir à relativa incompetência dos Caçadores de Sombras e processo irritante sobre Valentine.

Você com certeza verá os Caçadores de Sombras lidarem com isso. Nós teremos algumas lutas poderosas.

Para qual caminho Malec irá depois do momento super fofo do “Eu te amo”?

Eu acho que a grande coisa – e é sempre assim no relacionamento de Magnus e Alec – é manter as coisas honestas e agradáveis para os fãs. Nesse ponto de agora nós podemos dizer “Ok, eles são um casal – e apesar de está indo muito rápido, eles descobrem que esse é um relacionamento legal, doce e saudável, e eles podem confiar um no outro sobre coisas que vão acontecer no futuro.”

As coisas nunca são perfeitas em relacionamentos – mas nós podemos ver muita bondade entre os dois, e o relacionamento se tornará mais forte na segunda metade da temporada.

A história sobre o passado romântico de Aldertree com um ser do Sumundo irá afetar a forma como Alec vê seu relacionamento com Magnus?

Eu não sei! Você sabe, Alec continua teimoso – mesmo que ele esteja um pouco menos teimoso – e eu acho que ele não está disposto a ouvir o Aldertree, que já provou ser um pouco falso. Mesmo que ele seja um personagem que pode ser salvo, na visão de Alec, ele ainda é o cara que fez a sua irmã se viciar em yin fen,  e não foi muito honesto com seus motivos e com suas ações.

Eu acho que é legal mostrar essa humanidade vinda do Aldertree, ao mesmo tempo acho que Alec pode tomar isso como uma espécie de alerta. Eu tenho certeza que ele está considerando essas possibilidades. O que você acha?

Eu acho que os Caçadores de Sombras e os seres do Submundo podem fazer isso funcionar! Eu acho que Magnus e Alec podem fazer isso dar certo.

Claro que eles farão dar certo! Eles são apenas pessoas – algumas delas tem um pouco de sangue de demônio. Mas e daí?

Falando em sangue de demônio, Jace acabou de descobrir que não tem sangue de demônio e que não é filho de Valentine.

Alec obviamente está ansioso para contar para Clary – Não, eu estou só brincando. Eu acho que ele quer ver o melhor para seu irmão – mas ao mesmo tempo é um pouco confuso o que nós temos acontecendo… Há grandes coisas acontecendo. Jace apenas diz, “Quer saber, ela está feliz nessa situação. Eu vou deixar isso pra lá e então, em algum momento do futuro, eu lidarei com isso.”

Eu acho que isso é deixar as coisas de lado, o que é um problema comum entre as pessoas. Deixar de dizer coisas para as pessoas que causarão uma briga momentânea, apenas porque tem medo da resposta que virá.

Alec não irá se intrometer. Alec não vai se meter nessa situação, embora pense que seja divertido de uma maneira complicada. Eu não vejo Alec como um intrometido, ele é do tipo mais direto – e eu sinto que se ele for se meter em algo, vai ser bem, bem discretamente.

O que você pode nos dizer sobre o personagem Sebastian, que acabamos de conhecer?

Eu posso dizer a você que Will Tudor é um ótimo ator que está interpretando um personagem complexo – que chegou  e nós não sabemos muito sobre ele. Aqui está esse elegante britânico, que chega falando de forma doce com todos, mas você não sabe o que ele realmente o que ele está fazendo. Eu acho que isso definitivamente começa a ficar claro no final da segunda metade da temporada, mas você terá que manter os olhos nele…


Fonte: (x)
Tradução de Lightwoods Brasil – não reproduza sem os devidos créditos, plágio é crime.

 

Nossos parceiros do Lightwoods Brasil traduziram a entrevista que o Matthew concedeu para a Screener, falando sobre a finale da 2A de Shadowhunters. Confira abaixo:


A Winter Finale de Shadowhunters está quase aí e um ataque de Valentine ao instituto é iminente. Para piorar tudo, ele também sequestrou Simon. Com todos os heróis espalhados pela cidade, vai ser difícil armar um plano para derrotar Valentine enquanto o relógio está correndo.

Screener conversou com Matthew Daddario, que interpreta Alec Lightwood, sobre a Winter Finale – e como Alec vai reagir ao ataque de Valentine ao Instituto.

“No episódio 10, nós vamos resolver algumas coisas,” Daddario diz. “O Submundo está vindo unido, e nós vamos lutar contra essa ameaça do Valentine – mas no Instituto várias coisas estão indo de forma errada.”

Uma das coisas que estão indo mal envolvem Alec e Aldertree (Nick Sagar) estarem dentro do Instituto quando Valentine atacar… O último lugar que você quer estar quando um supervilão ataca é diretamente no seu alvo.

“Alec definitivamente vai ter que lidar com Aldertree – mas talvez eles se tornem amigos, talvez eles deixem as diferenças do passado para trás.” Daddario adianta.

Aldertree pode não ser a pessoa favorita de ninguém no momento, mas ele e Alec serão forçados a trabalhar juntos para derrotar Valentine, enquanto as forças do Submundo estão correndo para os portões.

Para sermos honestos, Aldertree é provavelmente a última pessoa que nós escolheríamos para acompanhar Alec é uma missão importante, mas infelizmente, nossa primeira escolha está um pouco mais preocupada com seu vício em veneno de vampiro agora. Izzy e Rapahel com seu relacionamento florescendo já está cheio de complicações e fica em crise na Winter Finale.

Agora graças a sua recente ruptura com Alec, talvez ela não chegue a tempo para salvar o Instituto.

“Alec fez algo um pouco estúpido,” Disse Daddario. “Ele não notou o que estava acontecendo com sua irmã, porque ele estava preocupado com outras coisas – o que é embaraçoso, porque honestamente, ele devia estar em alerta para o que acontece com a irmã… Nós temos que ver se ela se recupera do problema com Yin Fen ou se ela perde de vez o controle.”


Fonte: (x)
Tradução de Lightwoods Brasil – não reproduza sem os devidos créditos, plágio é crime.

Matthew concedeu uma entrevista para a TV Insider falando sobre o episódio 2×07 de Shadowhunters. Confira abaixo a entrevista completa e traduzida:


Shadowhunters: Alec conseguirá equilibrar Malec e os seus deveres como Shadowhunter?

[ALTERTA DE SPOILER: Apenas leia isso se você assistiu o episódio dessa semana (13/02) de Shadowhunters. Você foi avisado!]

O que você achou do mais confiante e (surpreendentemente) agressivo Alec Lightwood,  que nós vimos no episódio dessa semana de Shadowhunters na Freeform?

Primeiramente, depois do encontro, no episódio da semana passada, com Alec (Matthew Daddario) e Magnus (Harry Shum Jr.) onde nós descobrimos que Magnus teve mais do que alguns parceiros na sua cama durante os vários séculos da sua vida (aproximadamente 17.000!), Alec poderia ter visto a diferença como um problema entre os dois, certo? No entanto, no episódio dessa semana, Alec deu um grande passo para não deixar Magnus tomar sempre todas as decisões na relação, até mesmo empurrando-o para trás de portas fechadas para o que, nós imaginamos, deve ter sido um momento sexy muito esperado. Todos nós temos que esperar até o episódio da próxima semana para descobrir exatamente o que aconteceu, mas tudo está se encaminhando para essa direção!

Deixando toda a animação de lado, a preocupação de Alec com Magnus e o progresso do relacionamento dos dois, pode estar entrando no caminho das responsabilidades de Alec como um Shadowhunters e, também, da sua irmã, Isabelle (Emeraude Toubia)?  Podemos encontrar um modo de atingir um equilíbrio entre sua vida pessoal e seus deveres de caçador de sombras?

TV Insider foi direto para a fonte e conversou com Daddario sobre esse novo lado de Alec, a adição de humor na segunda temporada da série e, porque todos nós precisamos saber, como foi para ele beijar o ator Shum agora que o Magnus aderiu mais barba nessa temporada?

Esse foi um ótimo episódio para realmente vermos o quanto Alec avançou desde o início da série. Você sente que ele mudou muito na segunda temporada?

Matthew Daddario: Sim, eu sinto. Essa é uma das maiores mudanças, maior até mesmo do que seu relacionamento com Magnus. Eu acho que isso se expande para o modo como ele interage com os outros caçadores de sombras e todo o resto. Infelizmente, sabe, ele é, constantemente, colocado em cenários onde acaba um pouco machucado, quero dizer, ele matou a pobre mãe da Clary, mas mesmo com tudo isso ele mostra sinais de ser um indivíduo mais confiante e acessível. Embora não tenhamos muito tempo, então essas mudanças ocorrem muito rapidamente. É bom que ele esteja indo por esse caminho mas esperamos que não seja rápido demais.

Você ficou surpreso ao descobrir que Alec nunca esteve com ninguém?

DADDARIO: Na verdade, nós tivemos uma discussão intensa sobre se devíamos ou não falar que ele já esteve com alguém. Nós brincamos com ideias, talvez um flerte adolescente, ou nós iríamos mais longe e ele teve alguns casos ilícitos que ele escondeu de todo mundo, mas no final decidimos ir por aquele caminho. Nós queríamos explorar essa área com esse tipo de pessoa. Uma pessoa que não teve nada no passado e é meio realista. Eu sempre pensei no Alec… qualquer coisa sexual que ele pensasse, ele iria empurrar para longe muito rapidamente. No caso do Jace (Dominic Sherwood), ele estava confuso pra caramba sobre o que é amor e amor é igual a atração sexual? Foi um tempo confuso para o Alec e, finalmente, chegou a hora dele ter o que quer.

Eu acho que já era hora!

DADDARIO: Sim, o pobre cara, qual é!

A série não usou a palavra ‘virgem’ para descrever Alec mas ele é, essencialmente, virgem…

DADDARIO: Sim, ele é, mas a discussão de virgindade, pessoalmente, eu não acho tão interessante. É um grande passo, a primeira vez, mas honestamente, é um grande passo todas as vezes conforme você vai indo. É apenas uma parte do processo, então a finalidade não é tão interessante para mim. Pessoas que já transaram podem ser mais virgens do que pessoas que nunca transaram. É um processo confuso. Alec matou coisas, muitas coisas se você pensar sobre o assunto. Desse ponto de vista, não é como se ele fosse uma criança inocente. Longe disso. Eu não diria que ele é ingênuo, ele é apenas fechado. Então, puro parece não descrever Alec de verdade, para mim.

Já que descobrimos que Magnus esteve com mais do que algumas pessoas….

DADDARIO: Algumas pessoas, sim. [risos]

Você diria que Alec sentiu a necessidade de ir para o quarto para manter Magnus interessando ou por que ele, meio que, forçou para passar para o próximo nível?

DADDARIO: Esse é um comentário interessante porque há algumas coisas acontecendo. Primeiramente, você pode ficar brabo com alguém pelos seus exs porque você não estava por perto então não tem nada a ver com você, ao menos que o machuque. Não tem nada a ver com você. Você não pode ficar chateado, você não pode ficar com ciúmes. No entanto, é muito difícil pensar assim, especialmente quando são 17.000, então vamos olhar para o fato do Alec não querer ser bom em certas coisas e então há 17.000 antes dele, então, talvez, isso influencie a sua decisão. Embora seja possível que ele esteja fazendo isso porque, inicialmente, passou pela sua cabeça. No fim de tudo, Alec é um cara nos seus vinte e pouco que sempre foi muito fechado – por tempo demais. Honestamente, eu acho que ele pensava nisso fazia anos. Ele quer isso.

Eu notei que nessa temporada há muito mais humor. Como foi fazer algumas dessas cenas que não são tão sérias?

DADDARIO: Eu acho que é muito legal ter a oportunidade de interpretar com humor, especialmente quando se considera sobre o que a série é, você não pode se levar muito a sério. Se todos nós nos levássemos muito a sério, tudo iria se perder muito rápido, porque há lobisomens e vampiros e todos esses problemas e é tudo muito dramático, então você precisa de um pouco de humor para quebrar a tensão da coisa toda, o fim do mundo está chegando e blá blá blá. Eu acho que a cena do Jace e do Simon foi ótima. Eu estou ansioso para vê-la. Eu lembro que na mesa de leitura ela foi hilária. Eu não consegui ver eles filmando ela, infelizmente, e eu não vi nenhum clipe, então estou mesmo ansioso.

Falando sobre a Izzy por um minuto, porque a audiência sabe que ela precisa de ajuda, mas Alec não parece pegar a dica…

DADDARIO: Esse é um dos maiores erros do Alec. Alec sempre esteve focado no trabalho e em todos os caçadores de sombra e tudo isso. Normalmente, ele iria ter descoberto imediatamente, mas ele está no meio de algo novo que é esse relacionamento. Agora, isso é algo ruim? Não, não é algo ruim. É uma coisa boa que ele esteja fazendo isso. Mas ele tem que ser capaz de equilibrar essas duas coisas: o mundo do seu trabalho e o mundo do seu relacionamento. Na segunda parte dessa temporada, nós vamos lidar com esse problema de equilibrar trabalho e vida pessoal e a sua falha em reconhecer o problema da irmã é uma parte da razão dele sentir que precisar se dedicar ao trabalho.

Pergunta muito importante: houve algum novo desafio com o fato do Harry ter barba nessa temporada? Por que é diferente beijar alguém que tem a pele lisa e alguém com barba.

DADDARIO: Sabe, eu não pensei sobre isso. Muito obrigado, agora que você falou sobre isso! Eu não havia considerado! Talvez, eu não vou gostar. Talvez eu vou. Eu não sei. No fim das contas é apenas sobre filmar uma cena, então você só pensa em onde você está emocionalmente. Eu não tinha parado para pensar sobre isso. [risos] Muito obrigado. Agora, eu só vou me focar nisso. Definitivamente vou fazer piada do Harry por causa disso.


Fonte (x)
Tradução e adaptação: Juliana Piazza – não reproduza sem os devidos créditos.

 

Matthew Daddario concedeu, junto com o seu colega de trabalho Harry Shum Jr., uma entrevista para a revista OUT onde falam sobre primeiros encontros e o futuro de ‘Malec’. Confira a entrevista traduzida abaixo:


Na drama fantástica Shadowhunters, o feiticeiro Magnus Bane e o guerreiro meio-anjo Alec encaram o seu pior oponente até agora – um primeiro encontro.

A série da Freeform, adaptada da séries popular de livros da autora Cassandra Clare, mostra um mundo sobrenatural com magia, demônios que assumem a forma humana, e um problema, de nível apocalíptico, do bem e do mal – e até mesmo famílias – um contra o outro.

Mas os fãs da série vivem pelo relacionamento entre os personagens de, ninguém menos que Magnus (Harry Shum Jr.) e Alec (Matthew Daddario), ou “Malec,” como os chamam. Enquanto os dois terminaram a primeira temporada com um beijo explosivo, a segunda temporada não deu muito tempo para desenvolverem o relacionamento. Até agora.

Na semana passada, o par finalmente foi para um, muito prometido, primeiro encontro – que foi doce e estranho, e totalmente relacionável, se você viveu alguns séculos e namorou algumas milhares de pessoas.

Nós falamos com os dois atores, antes do episódio dessa segunda, que promete mais momentos do casal.

Out: Como o seu personagem evoluiu da primeira até a segunda temporada?

Harry Shum Jr.: Para Magnus, nós apenas vimos uma pequena porção da sua vida na tela. Ele é um cara que viveu por séculos, que passou por muita coisa, mas você só consegue ver uma fração do que ele passou. Ele pensou que não iria ter nenhuma experiência nova. Mas quando Alec começa a entrar em sua vida, ele tem esperanças de amar novamente.

Matthew Daddario: Na primeira temporada, Alec era aquele jovem muito fechado. Ele era muito contido; tentava esconder quem ele era. Focava em ajudar os outros, apenas para não pensar em si mesmo. Agora, ele está sendo forçado a perceber que não pode continuar sendo desse jeito, e está se tornando mais aberto, uma pessoa emocionalmente acessível.

Como vocês abordaram a filmagem do primeiro encontro?

Harry: Nós (eu e Matt) sabíamos como essa cena era importante, tanto para os fãs dos livros como para as pessoas que se apaixonaram pela série. Indo para a cena do encontro, nós queríamos que Magnus e Alec colocassem os pés no chão – que haveria um elemento humano ali, fora da fantasia. Sim, nós estamos interpretando um feiticeiro e um caçador de sombras, mas nós continuamos nos perguntando – será que alguém pode se relacionar com dois caras tentando entender como se conectar em um nível maior que apenas atração física?

Matthew: Foi uma cena divertida; eu gostaria que tivéssemos mais saídas e encontros. Eles não tiveram tempo para conhecer um ao outro, então enviá-los para um encontro abria muito espaço para diversão. Eles são muito diferentes, mas eles possuem os mesmos valores chaves. É um momento muito real para uma série com lobisomens e pessoas mudando de forma em todo canto. Talvez nós vamos deixar o Alec bêbado para ele, finalmente, poder se soltar. [Risos.]

O que vocês acham que é a mensagem mais poderosa para os telespectadores sobre como os seus personagens abordam sua sexualidade?

Harry: Magnus apena ama – não se importa com gêneros, com Magnus tudo é apenas amor. Ele não te coloca em uma categoria específica. Essa é a beleza do Magnus – ele se machucou tantas vezes que está aberto para o amor em todas plataformas.

Matthew: Eu pensei muito sobre isso. Alec é jovem e tem diversas coisas acontecendo na sua vida, mas ele nunca foi capaz de admitir para si mesmo quem ele é, e quem ele sente atração sexual por. Até mesmo com o mundo basicamente acabando ao redor dele, ser incapaz de admitir esse tipo de coisa acaba com uma pessoa. Você pode fazer tudo na sua vida muito bem, mas essa desonestidade ainda acaba com você. Sério: Alec é um pouco filho da mãe. Agora que ele se abriu, ele é uma pessoa muito mais feliz.

O que podemos esperar, nos episódios seguintes, para ‘Malec’?

Harry: Pode tomar um caminho bom ou ruim. Assim como qualquer pessoa que você conheça, no encontro você descobre coisas que não são ideais para um parceiro. Você quer ter um tempo para digerir tudo; é isso que eles precisam.

Matthew: Alec não é o operador mais suave. [Risos]. Ele não é bom em situações assim. Ele tenta procurar algum concelho, e ele é curioso. Mas, mesmo com o mundo acabando, quando o Alec precisa, ele toma o comando.

Vocês têm alguma história de primeiro encontro estranha?

Harry: Eu acho que todo encontro que eu tive no ensino médio foi estranho. [Risos.] Eu estava tentando ser o par ideal, e isso só me deixou falido, porque eu pensei que deveria comprar flores e todas essas coisas. Eu estava tentando tanto impressionar essas garotas, mas os encontros que nós apenas saíamos para comer cachorro quente ou coisa assim, esses são os que significam mais.

Matthew: Quando eu penso em um “primeiro encontro,” eu penso em conhecer alguém em uma cafeteria ou em um encontro às cegas. Então eu nunca estive, realmente, em um primeiro encontro nesse sentido. Eu acho que esses só acontecem em filmes, mas outras pessoas me contaram que são reais [Risos.]


Fonte: (x)
Tradução e adaptação: Juliana Piazza – não copie ou reproduza sem os devidos créditos.
error: Caso queira algum dos nossos textos, envie um e-mail!